Para cada Rute Deus tem um Boaz

Fazem 35 anos que sou pastor, e nunca passei por algo sequer semelhante ao que estamos vivendo neste momento.

Nestes anos sei que fui benção em muitas vidas. Entreguei dias e horas que podia estar com meus filhos e família para ver a igreja ser levantada. Dediquei horas em oração e jejum. Porém, ver a igreja ser fechada dói muito, pois são sim 35 anos de entrega.

Jamais nego a graça de Deus em minha vida. Se não fosse por ela, nunca teríamos chegado até aqui. Mas, nessas horas de luta, existem coisas que nos recompensam, e que nos fazem lembrar que não estamos sozinhos.

Um amigo me ligou há pouco tempo perguntando o que minha família precisava, pois hoje o mesmo está numa condição abençoada. Ele me disse: “sei que entregou muito tempo de sua vida por esta causa, e hoje sou fruto disso. Portanto, quero ser parte da solução.”.

Por tudo sou grato a Deus. Ele nunca nos abandona, e sempre coloca pessoas que nos amam, e cuidam de nós em nosso caminho.

Esse tempo de crise vai passar, e vamos sair muito mais fortes em nome de Jesus. Para cada Rute Deus tem um Boaz. Você jamais estará sozinho na batalha!

Read More
Bispo Flori abril 8, 2020 0 Comments

Sarando Pastores (Parte 3)

Uma das formas de perceber líderes doentes é por sua maneira de falar.
Tenho 35 anos de caminhada, e vivi pessoalmente várias experiências. E uma delas é saber trabalhar em equipe. Sempre que um líder é ferido na alma, sua fala inicia-se na primeira pessoa. Eu fiz; eu faço; eu sou; etc. Ele sempre está fazendo pela obra.

Achoo incrível como esse discurso é contemporâneo, e como temos problemas com nosso “EU”.
A grande verdade é que essa fala apenas revela que sabemos muito sobre nós mesmos e pouco sobre o grande EU SOU. Quando desenvolvemos essas características começamos a sentir alguns sintomas. Passamos a ser críticos de líderes que nos ajudaram, apresentamos reclamações de que eles estão fazendo pouco e EU fazendo MUITO, e com essas atitudes acabamos por desanimar aqueles que estão ao nosso redor.

Isso é um sintoma claríssimo de um líder que não entendeu que ele é apenas um dos meios de Deus agir. Se a pessoa é quem faz, é porque Deus não faz por meio d’Ele.

Aprendi na vida que sou apenas uma seta que aponta para Jesus, e que Ele sim é o Grande EU SOU. Ele mesmo disse: “sem mim nada podeis fazer”. Aproveitando pra ressaltar que o contexto desta frase dita por Jesus é sobre galhos que poderiam ser cortados por serem secos. Sendo assim, o líder que inicia tudo na primeira pessoa não entendeu que somos resultados da graça de Deus em nossas vidas.

Por fim, as pessoas acabam sentindo a sequidão na mensagem destes líderes.
Meu conselho é: delegue e confie. Estimule as pessoas mesmo quando elas errarem, seja um líder dependente da graça e transmita graça aos que te ouvem. No fundo, talvez você possa estar sentindo um alto nível de estresse, e talvez esteja até mesmo se sentindo depressivo e amargo, e essa amargura e desânimo contaminaram você, seus líderes e sua família, e a causa disso tudo é o fato de você mesmo não ter entendido a graça ativa de Deus sobre a sua vida.

Mude sua linguagem. Primeiro Ele fez, e hoje nós fazemos porque Ele agiu primeiro.

Read More
Bispo Flori janeiro 21, 2020 0 Comments

Sarando Pastores (Parte 2)

Uma das maiores causas de doenças na alma de um pastor está ligada a pessoas próximas.
Lidar com desilusões é amargo. Pois geralmente são os crentes consumistas que mais matam pastores. São aqueles que nos consomem horas no gabinete, no celular e nas visitas. Quando estão em crise, geralmente os carregamos no colo. Porém, um dia eles superam e tornam-se ingratos. O pastor se torna menos simpático à eles, e são incapazes de atribuir ao pastor os momentos de oração e aconselhamento, e ainda gloriam-se de si mesmos com Deus.
Para estas pessoas, o pastor passa a perder toda a credibilidade a partir do momento que não pôde atender no horário que gostariam de ser atendidos. O próximo é ficar sabendo que os mesmo saíram da igreja sem ao menos comunicar.
Já passei por tudo isso, mas com o tempo Deus nos ensina, e, para mim, o aprendizado veio pedindo ao Espírito Santo que me mostre quem são os cristãos consumistas na igreja. Entendi que o dono da benção é Jesus, e se as coisas não acontecerem na vida destas pessoas, o problema está entre ela e Jesus.
Aconselho uma pessoa no máximo três vezes, pois entendi que não devo ter ninguém pendurado em mim. Minha função é apontar para as escrituras. Invisto meu tempo em quem ouve, e pratica o que ouviu. Eu sei que este discurso é duro, porém sei quantas feridas já me foram causadas através destas situações, quantas fotos vi, quantas frases li pensando no quanto tempo eu havia investido nestas pessoas. Hoje compreendo algo: meu coração não é lata de lixo, portanto não deposito a amargura alheia em mim, e me alegro com os que realmente andam comigo e valorizam o ministério que Deus me deu.
E para finalizar, como diz paulo: “Portanto, meus amados irmãos, mantenham-se firmes, e que nada os abale. Sejam sempre dedicados à obra do Senhor, pois vocês sabem que, no Senhor, o trabalho de vocês não será inútil.” (1Co 15:58)

Read More
Bispo Flori janeiro 20, 2020 0 Comments

Sarando Pastores (Parte 1)

As feridas que mais senti foram consequências de sair do centro da vontade Deus.
Muitas vezes eu tentei ajudar pessoas, me envolver em projetos que nos quais Deus jamais me chamou pra estar. Em vários destes projetos tive sucesso, porém com eles vieram as maiores traições. Estas vieram tanto no campo eclesiástico quanto político.
Entenda algo: nossas feridas são consequências diretas de nossas escolhas. Poucas pessoas tem preparo para enfrentar o Golias da traição, e as feridas são produzidas exatamente nesse sentido. Muitos pastores investiram suas vidas, sua moral, seu tempo e suas famílias em projetos que Deus jamais os chamou para fazer parte. Aparentemente eram ideias positivas, porém as consequências foram para mim altamente duras.
As vezes é em um pastor que Deus nos orientou não investir, outros em líderes seculares. porém fomos seduzidos pela vaidade de nosso coração. O investimento foi grande e o retorno foi pífio, e assim seu coração passou a não acreditar mais nas pessoas.
Aprenda algo: tome cuidado para quem você transfere sua credibilidade e suas conexões. Já transferi ambas, entreguei amigos e recebi os mesmos como inimigos. Aproximei pessoas próximas de mim de outras pessoas, depois essas pessoas roubaram o coração delas, e eu me tornei apenas alguém na história. Perdi ambos os amigos e recebi de volta feridas.
Conselho: se desvencilhe de tudo aquilo que não faz parte do seu chamado. Tenha coragem para romper alguns vínculos, e se re-aloque no propósito de Deus.

Read More
Bispo Flori janeiro 20, 2020 0 Comments
Top